Motivos Para Manter Um Casamento

Motivos Para Manter Um Casamento

Motivos Para Manter Um Casamento Segundo Cátia, não é só por causa do parceiro, mas para sentir-se horny e confiante. medo ou raiva, e encontrar conforto em seus relacionamentos. Casais que habitualmente esquivam-se de enfrentar esses momentos difíceis, consequentemente, deixam as crises os tornarem ainda mais emocionalmente distantes. Para evitar esse risco, é importante aprender a compartilhar emoções fortes e “falar” sobre sentimentos e insatisfações.

De nada adianta dar uma segunda chance e continuar pensando como antes. Deixe o rancor de lado, respire fundo e vá ser feliz com a pessoa que você ama.

Toda vez que acusamos alguém por seus erros passados, estamos trazendo-os de volta e dificultando que ela se livre deles. Certamente, não é isso que queremos para a pessoa amada.

como manter meu casamento

“Casais hurtônicos que têm tudo podem sucumbir e se separar se forem submetidos a um excesso de estresse”, diz. Parcial na maioria dos casamentos, a compatibilidade psicológica é o primeiro deles. “É muito raro existir um casal totalmente compatível”, analisa Luiz. Um tipo de desencontro muito comum é um cônjuge ser perfeccionista e o outro, bagunceiro. “Diferentemente das uniões do século 20, em que as pessoas se conformavam com seus standing, no casamento contemporâneo as pessoas se incomodam mais e precisam aprender a negociar com suas diferenças”, avalia.

  • A transição para a meia-idade leva um casal de uma vida produtiva a uma vida de influência.
  • Algumas pessoas pensam que, por já estarem casadas, podem cair no desleixo em relação às atitudes.
  • Aliás, este é o grande motivo dos conflitos matrimoniais, pois a maioria dos casais tem altas expectativas em relação a gostos e interesses em comum.
  • Uma das melhores maneiras de manter a visão do “nós” durante a meia-idade é dar um passo atrás e lembrar que agora você tem uma família olhando para vocês como líderes.
  • Vemos tantos casamentos desfeitos porque o homem ou a mulher olhou para o lado, viu alguém muito atraente, não conseguiu (porque não se esforçou o bastante) tirar a pessoa do pensamento e acabou fazendo besteira.
  • E acrescente ainda a essa conta a possibilidade de estar cuidando de pais idosos.
  • Sentem-se no direito de agirem com grosseria ou serem mal-humoradas grande parte do tempo.
  • “No grownupério há pelo menos três pessoas que se enganam.” Carlos Drummond de Andrade.

E em um casamento, é saber mostrar sua opinião de forma franca, porém gentil, sem criticar o outro. É importante que vocês sejam sempre sinceros, mesmo que em coisas pequenas. A ideia de que existem mentiras “boas” é possivelmente casamento maléfica. Zombar do parceiro e fazer comparações com outras pessoas em público também é um dos pecados do casamento. “Faça piadas sobre si mesmo e fale sempre a partir da própria experiência”, recomenda.

Quando seu parceiro faz algo errado ou te irrita, você dá o benefício da dúvida. Mas, com o passar do tempo, essa tolerância vai acabando, assim como sua paciência. As coisas que eram motivo de piada viram ressentimentos enraizados. No casamento, não é realista achar que todo dia será uma página de um conto de fadas.

Já é comprovado por cientistas pelo mundo afora que comer é um ato social e que pessoas que comem juntas são mais felizes. Abrace a rotina do seu casamento e compartilhem momentos simples. Casais juntos há muito tempo vão te dizer que manter a chama viva exige um certo esforço. Se os dois parceiros não agirem de forma deliberada para manter acesa a conexão romântica – seja com programas a dois, gestos de carinho ou terapia de casal ―, o afastamento pode ser inevitável. O namoro é a fase mais gostosa do relacionamento, onde tudo é novidade e a paixão reina.

Que vantagem há em se ganhar uma disputa contra aquele que é a nossa própria carne? É preciso que o casal tenha a determinação de não provocar brigas. Não podemos nos esquecer de que basta uma pequena nuvem para esconder o sol. Às vezes, uma pequena talk aboutão esconde, por muitos dias, o sol da alegria no lar.

Como frustrações externas são comuns na vida moderna, Hanns alerta que as pessoas estão mais e mais nervosas. “Elas tendem a se tornar agressivas, intolerantes e associar o parceiro a zeladorias chatas e o amante a momentos gostosos e leves”.

Isso acaba com a igualdade na parceria – um ponto muito importante no relacionamento. Separamos hoje algumas das melhores dicas para você, mulher nada frágil, manter sua vida sexual após o casamento. Será possível manter duas pessoas juntas uma vida toda?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *